Futebol

UEFA não coloca Vinícius Júnior entre os 11 melhores da temporada

De maneira absurda, Vini Jr. não foi indicado ao prêmio

O prêmio de melhor jogador da Europa, teve, como vencedor deste ano, o norueguês Erling Haaland, jogador do Manchester City. Porém, algo que também chamou a atenção sobre este prêmio foi a não indicação de Vinícius Júnior, que ficou de fora do top 11 melhores, divulgado pela UEFA. Apesar de ter tido uma ótima temporada, sendo essencial para o time do Real Madrid em todas as competições, o brasileiro ficou atrás de jogadores que, apesar de terem feito um bom ano, apresentaram um nível técnico muito inferior ao de Vini – não sendo bons o suficiente sequer para serem indicados ao prêmio.

Como exemplos podemos citar Alexis Mac Allister, jogador argentino que atuou pelo Brighton na temporada 22/23 (atualmente joga pelo Liverpool), e conquistou a Copa do Mundo por sua seleção. Considerando que, o prêmio se refere apenas às competições organizadas pela UEFA, que não é o caso da copa do mundo (organizada pela FIFA), a indicação de um jogador como Mac Allister ser preferida sob a de Vinícius, é, no mínimo, questionável, pois mesmo o argentino sendo acima da média para o time em que atuava, não venceu títulos ou sequer jogou qualquer competição europeia de alto nível com a equipe. Outro exemplo questionável é a indicação do espanhol Jesús Navas, jogador do Sevilla, que venceu a Europa League na última temporada, uma competição que tem seu valor, porém não deixa de ser um título com pouca relevância se comparado à Champions League ou até mesmo a liga nacional. O time do Sevilla na temporada 22/23, terminou na 12° colocação da La Liga, o campeonato espanhol, e não teve grandes destaques na temporada além da conquista da Europa League. 

Considerar dois jogadores que sequer jogaram no nível mais alto do futebol europeu durante a temporada superiores a um jogador que é o destaque em um dos melhores times do mundo, e teve ótimas desempenhos em competições do mais alto nível, é algo muito questionável para uma organização como a UEFA e com certeza está relacionado às perseguições racistas que Vinícius Júnior vem sofrendo. A organização não tomou medidas contra o racismo sofrido pelo jogador, e não dá sinais de que irá agir nesta situação, assim como a La Liga, parecem não ver o que está acontecendo dentro e fora dos estádios.

O Brasil ainda é uma democracia?

Um debate muito negligenciado, que é tratado de maneira superficial, mas que conserva a maior importância é a respeito da caracterização do regime político brasileiro.

O fenômeno Rogério Skylab

Mais que um homem, menos que um fenômeno, Rogério Skylab, em sua vasta carreira, que data desde o começo da década de 90, sempre sofreu

Rolar para cima