Campeão da Libertadores

Fluminense comprova: o futebol brasileiro é superior

Campeonato Brasileiro é, disparado, o mais equilibrado e disputado do mundo

No dia 4 de novembro, foi realizada a final da Conmebol Libertadores no lendário Estádio Maracanã. Nele, o Fluminense sagrou-se campeão do torneio pela primeira vez em sua história, derrotando o clube argentino Boca Juniors por 2 a 1, e, assim, estendendo a sequência de campeões brasileiros na maior competição da América do Sul.

Com o título inédito do Fluminense, os clubes de futebol brasileiros alcançaram uma sequência de 5 títulos seguidos. É válido notar que o Boca Juniors, oponente do Tricolor das Laranjeiras, foi o primeiro time não-brasileiro a chegar a uma final da Libertadores em um período de 4 anos. E chegou até lá jogando um futebol terrível, sem ter ganho nenhum jogo nas eliminatórias – ao contrário do Fluminense, liderado pelo Fernando Diniz, atual técnico interino da Seleção. A equipe carioca foi nomeada como o “Time do Futuro” pelo The New York Times, por seu estilo de futebol que está revolucionando o esporte, influenciando múltiplos times e seleções pelo mundo todo.

Além disso, observando os últimos 10 anos, o Brasil possui 7 títulos da competição; também possui o maior número de campeões únicos da história da Libertadores, com 11 clubes no total. Essa dominância é ainda maior na Libertadores feminina, com 6 dos 9 clubes campeões sendo brasileiros, e 12 dos 15 títulos tendo ido para esses clubes. Por a edição feminina ter sido implantada mais recentemente, pode-se ver com clareza como o Brasil possui um reinado no futebol sul-americano nos últimos tempos.

Porém, esse reinado brasileiro não fica só na América do Sul. No começo deste ano, a  IFFHS (Federação Internacional de Histórias e Estáticas do Futebol) elegeu o Brasileirão como a liga nacional mais forte e competitiva do mundo, superando a Premier League inglesa por 2 anos seguidos – com grau de competitividade muito inferior a liga brasileira. 

No momento da escrita, com 35 rodadas jogadas, há 6 times que ainda tem chance de levar o troféu para casa: Flamengo e Palmeiras empatados na liderança com 63 pontos, Botafogo com 62, Atlético-MG com 60; e Grêmio e Bragantino empatados com 59. Essa competitividade, no entanto, não se aplica apenas ao topo da tabela: 5 times estão lutando para não ocupar a última vaga que sobra de rebaixamento para a Série B, sendo estes Cruzeiro, Bahia, Vasco da Gama, Santos e Corinthians. 

Essas brigas apertadas por título e rebaixamento apenas provam o nível equilibrado do futebol brasileiro, em que um time que luta para não cair, como o Vasco, consegue ganhar de 4 a 2 do atual campeão da América, Fluminense, coisa que não se vê em nenhum outro campeonato do mundo.

Além do nível de competitividade elevado, tanto na Série A, quanto na Série B, e da dominância continental, o Brasil também é o país que mais produz talentos de nível mundial: jogadores que já são considerados estrelas como Éder Militão, Rodrygo e Vinícius Júnior, além de futuras estrelas que estão destinados a trilhar seus caminhos de glória como Endrick, Vitor Roque, André e muitos outros. Esses jogadores jovens carregam nas costas o sonho nacional de levar o Brasil a sua sexta Copa do Mundo.

Matheus Romão – BM 141

O Brasil ainda é uma democracia?

Um debate muito negligenciado, que é tratado de maneira superficial, mas que conserva a maior importância é a respeito da caracterização do regime político brasileiro.

O fenômeno Rogério Skylab

Mais que um homem, menos que um fenômeno, Rogério Skylab, em sua vasta carreira, que data desde o começo da década de 90, sempre sofreu

Rolar para cima